BLOG FACEIROS EM COLORADO

17-02-2010

ERE- OS GIGANTES / SIGNIFICADO

OS GIGANTES

Autor:Pr. Murilo Mendes Maciel

INTRODUÇÃO

Estamos vivendo já no século XXI (21) e a ficção é algo presente de uma maneira crescente que está chegando a poluir a visão de muitas pessoas pelos cartazes e Outdoors. A uns anos passados era comum esse tipo de publicidade, hoje  temos letreiros digitais e telões de plasma. As mitologias que figuravam apenas nos livros de escola chatos aos quais nossos avós debruçavam sobre os mesmos gastando horas de estudo e enriquecendo seu conhecimento a respeito das lendas e culturas da antiguidade se tornaram obsoletos frente a tamanha tecnologia. O tema que nos propomos a abordar neste breve estudo possui cunho investigativo e de enriquecimento a todo publico interessado por esse tema apaixonante para do amante da filosofia e mitologia dos povos da antiguidade.

 

SIGNIFICADO DE GIGANTES

(Segundo o Dicionário Michaelis-UOL): gi.gan.te – “s. m. 1. Homem de extraordinária estatura. Fem.: giganta. 2. Animal de grande corpulência. 3. Constr. Contraforte. 4. Cada uma das escoras de ferro que sustentam, pela parte interna, os gradis de vedação. Adj. m. e f. Muito grande; enorme.”.

(Segundo o Dicionário da Bíblia de Almeida, PDF, página nº145): gigante – “Raça de gente alta e muito forte que morava em Canaã (Nm 13:33).”.

(Segundo o Dicionário Bíblico Ebenezer): gigante – “Raça de gente alta e muito forte que morava em CANAÃ (Nm 13.33).”.

(Segundo o Dicionário da Bíblia – John D. Davis, pagina nº251): gigante - “Homem de extraordinária estatura, como Ogue, rei de Basã, cujo sacofago media nove covados de comprido por quatro de largo, Dt 3.11. Golias de Gate, que tinha seis côvados e um palmo de altura, 1Sm 17.4, e o egípcio que Benaias matou, também de cinco côvados de estatura, 1Cr 11.23. Uma raça de homens desta natureza fazia parte dos habitantes de Canaã, como os enacins, os emins, os zonzomins e outros povos do oriente do Jordão, Dt 1.28; 2.10, 11, 20, 21; 9.2.”.

(Segundo o Dicionário Bíblico de James Strong, página nº1156, 1157): gigante – “05303 - nephlyl ou nephll, procedente de 05307; 1) Gigantes. “05307 – naphal, uma rais primitiva. 1)cair, deitar, ser lançado no chão, falhar.”; “05308 – nephal (aramaico) correspondente a 05307. 1)cair.”.

(Segundo o Novo Comentário da Bíblia de F. Davidson, pagina nº136): gigantes – “[e) A perversidade e o castigo do velho mundo (Gn 6.1-9.29)  1. A MALDADE CADA VEZ MAIS PROFUNDA DO HOMEM  (#Gn  6.1-8). Os filhos de Deus (2). Não há dificuldade em compreender esse título como designação dada à ordem mais alta de seres espirituais sobrenaturais que cercam o  trono de Deus. Noutras passagens, a expressão "filhos de Deus" (’ elohim) se refere a seres angélicos, bons ou maus (#Jó 1.6; #Dn 3.25); e alguns pensam que temos aqui o registro sobre uma misteriosa união entre anjos maus e as  filhas dos homens. Outros consideram que  isso se  refere  à união  entre os descendentes de Sete  (filhos de Deus)  e os descendentes de Caim.]”, “[...Gigantes  (4). Heb. nefilim pode  significar  "gigantes"  (cfr. #Nm 13.33), ou pode ser derivado do verbo cair, assim significando "os caídos". Visto que a etimologia é difícil de precisar, provavelmente é melhor tomar essa palavra no primeiro sentido. ...]”.

(Segundo a Nota de Rodapé da Bíblia de Jerusalém, página nº39): [ “l) Episódio difícil (de tradição javista). O autor sagrado se refere a uma lenda popular sobre os gigantes (em hebr. Nefilîm), que seriam os titãs orientais, nascidos da união entre mortais e seres celestes. Sem se pronunciar sobre o valor dessa crença e velando seu aspecto mitológico, ele apenas menciona essa lembrança de uma raça insolente de super-homens como um exemplo da crescente perversidade que motivará o dilúvio. O Judaísmo posterior e quase todos os primeiros escritores eclesiásticos viram nesses “filhos de Deus” anjos culpados. Mas, apartir do século IV, em função de uma noção mais espiritual dos anjos, os Padres interpretaram comumente os “filhos de Deus” como a linhagem de Set, e as “filhas dos homens” como a descendência de Caim.”]


Escrito por magloo.silva às 04:54:16 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - NOME DE GIGANTES

ALGUNS NOMES DE GIGANTES

Ymir – nome do gigante da mitologia Nórdica sendo que após sua morte as partes de seu corpo passaram a formar o mundo.

(Mitologia Nórdica – www.magiadourada.com.br) – [ “Estória da Criação
Da mesma forma que as demais religiões o Ásatrú também tem a sua versão para a criação do universo. Um poema Volüspá ( Profecia da Vidente ), conta a estória da criação da seguinte maneira:"Entre Muspelheim ( A Terra do Fogo ) e Niflheim a terra ou ( País do Gelo), havia um espaço vazio chamado Ginnungigap. Fogo e gelo moveram-se em direção um ao outro e quando colidiram, o universo passou a existir. Odin, Vili e Vê, antes de criar o mundo, tiveram que matar um gigante cuja presença preenchia todo o universo, seu nome era Ymir e era o pai de toda prole Jotnar, que se portava muito destrutivamente. Com o corpo de Ymir, fizeram a terra, com seu sangue, fizeram o mar, com seus pelos, fizeram as árvores, com seu crânio, fizeram a abóbada celeste ou o universo, aonde repousam as estrelas, e com seus miolos, fizeram as nuvens no céu. Com os cílios de Ymir, fizeram um grande cercado em torno de nosso mundo chamado de Midgard, do qual mantém de fora os Thurses, ou seres de fora de nosso mundo, cuja natureza é destruidora e nociva." ].

Gulliver – nome de um gigante da literatura inglesa: onde o naufrago, se depara com minúsculos habitantes de uma ilha chamada Lilliput.

(http://pt.wikpédia.org – “As Viagens de Gulliver”) – [ As Viagens de Gulliver (Gulliver's Travels, no original) é um romance satírico escrito por Jonathan Swift em 1726. A narrativa inicia-se com o naufrágio do navio onde Gulliver seguia. Após o naufrágio ele foi arrastado para uma ilha chamada Lilliput (o nome dos países pode variar conforme a tradução). Os habitantes desta ilha, que eram extremamente pequenos, estavam constantemente em guerra por futilidades. Foi através dos lilliputianos que Swift demonstrou a realidade inglesa e francesa da época.” ].

Polifemo – nome de um gigante ciclope personagem do mito de Polifemo e Galatéia.

(Mitologia Greco-Romana – Vol I, página 202): - [ “Galatéia inspirou uma violenta paixão ao ciclope Polifemo, filho de Netuno. Mas a bela Nereida fugia sem cessar do infeliz ciclope que não deixava de pensar nela. Uma pintura de Herculanum nos mostra um Amor montado num delfim, que traz uma missiva a Polifemo, e a missiva contém seguramente uma recusa, pois o pobre ciclope era sempre repelido. Então, não pensando mais no rebanho que ele deixava pastar nos campos vizinhos, Polifemo montava no rochedo mais elevado, e, largando o cajado cujo cabo era um pinheiro do tamanho de um mastro de navio, pegava a flauta e punha-se a tocar.”].

Tifão – nome de um gigante da mitologia grega filho da terra e inimigo dos deuses.

(Mitologia Greco-Romana – Vol I, página 48-49): - [ “Tifão habitava uma caverna por ele enchida de vapores envenenados; a cabeça atingia-lhe os astros, as mãos tocavam-lhe o oriente e o poente. Vociferando sem cessar, lançava contra o céu rochedos ardentes, e das suas enormes bocas jorravam torrentes de fogo. Quando o monstruoso gigante começou a escalar o Olimpo, os deuses, horrorizados, assumiram a forma de toda espécie de animais e fugiram para o Egito. Segundo os gregos, foi sob tal aspecto que os egípcios os conheceram, e isso explica a forma dada pela arte aos deuses nesse país.”].

Otos e Ephialtes – nomes de dois gigantes da mitologia grega que para escalarem o céu amontoam montanhas.

(Mitologia Greco-Romana – Vol I, página 50): - [ “Em primeiro lugar, vemos Otos e Ephialtes que, para escalarem o céu,  amontoam montanhas;”].


Escrito por magloo.silva às 04:52:53 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Alguns nomes de Gigantes

ALGUNS NOMES DE GIGANTES

 

Porfírio e Alcioneu - nomes de dois gigantes da mitologia grega que comandaram todo um exército de gigantes em batalha.

(Mitologia Greco-Romana – Vol I, página 50): - [ “...todo um exército de gigantes que se dispõe em ordem de batalha sob o comando de Porfírio e Alcioneu; dessa vez, o asno de Sileno pôs-se a zurrar com tal força que o exército de gigantes, horrorizado, fugiu.”].

Brân – nome de um gigante da mitologia Celta que atravessou o mar da irlanda para combater um rei e seu exército.

(Mitologia Celta - http://criptopage.caixapreta.org/secao/mitologia/mito_celta.): - [ Brân era um enorme gigante que nenhum palácio ou nenhum navio podia abrigar; atravessou a vau o mar da Irlanda para combater e destruir um rei e seu exército; estendido através de um rio, seu corpo gigantesco serviu de ponte para o exército passar.”].
Golias – nome do gigante bíblico mencionado no episodio do duelo de Davi e sua funda, onde David após derrubar o gigante corre, sobe sobre ele e arrancando sua enorme espada corta a cabeça do mesmo. O sangue quente escorrendo pela base do pescoço degolado e os cabelos entre os dedos de David que ergue triunfantemente a cabeça de seu oponente.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 - I Samuel 17:4-7) – “Então saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era Golias, de Gate, que tinha de altura seis côvados e um palmo. Trazia na cabeça um capacete de bronze, e vestia uma couraça de escamas; e era o peso da couraça de cinco mil siclos de bronze. E trazia grevas de bronze por cima de seus pés, e um escudo de bronze entre os seus ombros. E a haste da sua lança era como o eixo do tecelão, e a ponta da sua lança de seiscentos siclos de ferro, e diante dele ia o escudeiro.”.

Ogue – nome de um gigante rei de Basã derrotado pelas forças israelitas quando da conquista de cana liderados por Moisés; cujo seu leito de ferro media 9X4 covados.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 – Deuteronômio 3:11) – “Porque só Ogue, o rei de Basã, restou dos gigantes; eis que o seu leito, um leito de ferro, não está porventura em Rabá dos filhos de Amom? De nove côvados, o seu comprimento, e de quatro côvados, a sua largura, pelo côvado comum.”.

Isbi-Benobe – nome do um gigante que intentou ferir ao Rei David.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 – II Samuel 21:16) – “E Isbi-Benobe, que era dos filhos do gigante, cuja lança pesava trezentos siclos de cobre, e que cingia uma espada nova, intentou ferir a Davi.”.

Safe – nome de um gigante que foi derrotado em combate por Sibecai contra os filisteus.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 – II Samuel 21:18) – “E aconteceu depois disto que houve em Gobe ainda outra peleja contra os filisteus; então Sibecai, o husatita, feriu a Safe, que era dos filhos do gigante.”.

Sipai – nome de um gigante derrotado na guerra de Gezer entre Israel e os filisteus.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 – I Crônicas 20:4) – “E, depois disto, aconteceu que, levantando-se guerra em Gezer, com os filisteus, então Sibecai, o husatita, feriu a Sipai, dos filhos do gigante; e ficaram subjugados.”.

Arba – nome de um gigante chamado o maior homem entre os anaquins.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 – Josué 14:15) – “E antes o nome de Hebrom era Quiriate-Arba, porque Arba foi o maior homem entre os anaquins. E a terra repousou da guerra.”.


Escrito por magloo.silva às 04:51:54 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE- Raças de Gigantes

RAÇAS DE GIGANTES

 Um gigante, não é apenas uma pessoa enorme, gigantesca de tamanho avassalador; mas sim, um ser diferenciado de tamanho descomunal e força proporcional. Sendo inteligentes o suficiente para seus propósitos.

As raças dos gigantes são mencionadas na Bíblia sendo anti-diluvianos e pós-diluvianos.

Os anti-diluvianos, ou seja, aqueles gigantes que possivelmente habitaram a terra, segundo os mitos e lendas dos povos da antiguidade, antes da grande inundação registrada no livro de Gênesis e nas variadas mitologias primitivas.

Essa raça anti-diluviana é chamada de “Nefilins”.

Os Nefilins segundo a mitologia eram gigantes de estatura descomunal parecidos com os gigantes da mitologia grega.

No Livro apócrifo de Enoch a narrativa mitológica a respeito de guardiões celestiais, descrevendo sua quantidade em numero de duzentos, que deixaram suas habitações para espiarem a terra e se apaixonando pelas filhas dos homens geraram delas uma nova raça. Esses guardiões ensinaram aos homens a prática das ciências ocultas como: magia, astrologia, adivinhação, feitiçaria, etc. Os mistérios das trevas estariam sendo ensinados e se multiplicando sobre a terra corrompendo os desígnios divinos originais.

(Segundo o Livro Apócrifo de Enoch, Capítulo 7,página nº02-03): “E aconteceu depois que os filhos dos homens se multiplicaram naqueles dias, nasceram-lhe filhas, elegantes e belas. E quando os  anjos, (3) os  filhos dos  céus, viram-nas,  enamoraram-se delas, dizendo uns para os outros: Vinde, selecionemos para nós mesmos esposas da progênie dos homens, e geremos filhos. (3) No texto aramaico lê-se "Sentinelas" (J.T. Milik, Aramaic Fragments of Qumran Cave 4 [Oxford: Clarendon Press, 1976], p. 167). Então seu  líder Samyaza disse-lhes: Eu  temo que  talvez possais  indispor-vos na  realização deste empreendimento; E que só eu  sofrerei por tão grave crime. Mas eles responderam-lhe e disseram: Nós todos juramos; (e amarraram-se por mútuos juramentos), que nós não mudaremos nossa intenção mas executamos nosso empreendimento projetado. Então eles juraram todos juntos, e todos se amarraram (ou uniram) por mútuo juramento. Todo seu número era duzentos, os quais descendiam de Ardis, (4) o qual é o topo do monte Armon. (4) de Ardis. Ou,  "nos dias  de  Jared"  (R.H. Charles,  ed. and  trans., The Book  of Enoch  [Oxford: Clarendon Press, 1893], p. 63). Aquele monte portanto foi chamado Armon, porque eles tinham jurado sobre ele, (5) e amarraram-se por mútuo juramento. (5) Mt. Armon, ou Monte Hermon deriva seu nome do hebreu herem, uma maldição (Charles, p. 63). Estes são os nomes de seus chefes: Samyaza, que era o seu líder, Urakabarameel, Akibeel, Tamiel, Ramuel,  Danel,  Azkeel,  Saraknyal,  Asael,  Armers,  Batraal,  Anane,  Zavebe,  Samsaveel,  Ertael, Turel, Yomyael, Arazyal. Estes eram os prefeitos dos duzentos anjos, e os restantes estavam todos com eles. (6) O  texto  aramaico  preserva  uma  lista  anterior  dos  nomes  destes Guardiães  ou  Sentinelas:  Semihazah;  Artqoph; Ramtel;  Kokabel;  Ramel;  Danieal;  Zeqiel;  Baraqel;  Asael;  Hermoni;  Matarel;  Ananel;  Stawel;  Samsiel;  Sahriel; Tummiel; Turiel; Yomiel; Yhaddiel (Milik, p. 151). Então  eles  tomaram  esposas,  cada  um  escolhendo  por  si  mesmo;  as  quais  eles  começaram  a abordar, e com as quais eles coabitaram, ensinando-lhes sortilégios, encantamentos,e a divisão de raízes e árvores.”.

Já na mitologia grega nós temos os opositores dos doze deuses do Olimpo que são os famosos Titãs.

Os Titãs são gigantes descomunais, filhos da terra que se revoltam contra os deuses e se colocam no monte Ótris enquanto os deuses olímpicos ocuparam o monte Olimpo e começaram a grande batalha.

(Segundos a Mitologia Greco-Romana, página nº41): “As velhas predições iriam cumprir-se. Júpiter crescia e os seus membros tornavam-se vigorosos. Enganado pelos pérfidos conselhos da Terra, Saturno engoliu uma beberagem que o forçou a devolver os filhos devorados, os quais, uma vez livres, prestaram imediatamente apoio a Júpiter. Os deuses, filhos de Saturno, postaram-se no monte Olímpo: os Titãs ocuparam o monte Ótris, colocado em frente. Dessas posições começaram eles uma furiosa guerra que durou dez anos inteiros, uma luta sangrenta em que a vantagem flutuava igualmente entre as duas partes. Os olímpicos tinham a sua principal força no concurso trazido pelos ciclopes (Relâmpagos) e pelos hecatonquiros (Tempestades) que Jupiter retirara do abismo em que haviam sido mergulhados. Como recompensa por tal benefício, os ciclopes, obreiros divinos, de gigantesca estatura, e que só possuem um olho no meio da testa, cederam a Júpiter o raio, que estava sepultado nos flancos da terra. Deram também a Netuno o tridente que se tornou atributo desse deus, e a Plutão um capacete que o tornava invisível. Os hecatonquiros não se mostraram menos reconhecidos. Eram três irmãos, Briareu, Coto, e Giges. Tinham esses formidáveis guerreiros, cada um, cem braços e cinqüenta cabeças. Traziam nas mãos rochedos e chegavam a lançar trezentos de uma vez contra os Titãs, o que os faz serem considerados personificações do granizo e dos ventos. “Parecia, ouvindo e vendo tão grande bulha e luz, que a terra e o céu se confundiam, pois era enorme o tumulto da terra esmagada e do céu a se precipitar sobre ela, tal o barulho da luta dos deuses. Ao mesmo tempo, os ventos, sacudindo-se, erguiam o pó, o trovão, o relâmpago, e o raio ardente, armas do grande Zeus, e levavam o brado e os clamores ao seio dos combatentes; e no incessante fragor da espantosa luta, todos mostravam a força dos seus braços.” (Hesíodo). Os Titãs, vencidos, foram arremessados ao Tártaro, lugar obscuro e terrível, que causa espanto aos deuses.”.

Na Bíblia encontramos também algumas raças de gigantes nomedas de acordo com o costume dos povos da região e sua época como – Anaquins; filhos de Anaque, Emins, Zamzumins, Refains, Zuzins.

(Bíblia Sagrada ABSVD 6.0 – Deuteronômio 2:20) – “(Também essa foi considerada terra de gigantes; antes nela habitavam gigantes, e os amonitas os chamavam zamzumins;”.

Mitologia Nórdica – www.magiadourada.com.br

Viagens de Gulliver - http://pt.wikpédia.org – “As Viagens de Gulliver”.

Mitologia Celta - http://criptopage.caixapreta.org/secao/mitologia/mito_celta.

Livro Apócrifo de Enoch, PDF.

Livro do Recordes – www.metiredesseocio.com/tag/livro-dos-recordes.


Escrito por magloo.silva às 04:46:34 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE- Doenças de Gigantismo

DOENÇA DE GIGANTISMO

 

Hoje em dia temos o conhecimento de uma doença que chamamos de gigantismo e integrando o famoso livro dos recordes; o maior homem do mundo é Sultan Kosen é o homem mais alto do mundo em todos os seus 2 metros e 46,5 centímetros, o novo detentor do recorde tem 26 anos e nasceu na Turquia.

(Segundo o Livro do Recordes – www.metiredesseocio.com/tag/livro-dos-recordes): [“Já Sultan Kosen é o homem mais alto do mundo em todos os seus 2 metros e 46,5 centímetros, o novo detentor do recorde tem 26 anos e nasceu na Turquia. Além disso, Sultan Kosen possui também a maior mão do mundo com 27,5 cm de uma ponta a outra. E, como não poderia deixar de ser, o tri-recordista Sultan Kosen, tem também o maior pé do mundo com 36,5 centímetros. Se o que dizem sobre a relação do tamanho do pé e o tamanho do… bem. Deixa para lá. Melhor esquecer…”].

(Segundo http://www.todabiologia.com/doencas/gigantismo.htm): Gigantismo - [“Causa da doença O gigantismo é um transtorno que ocorre quando a hipófise, glândula de secreção interna, passa a produzir excessivamente o hormônio do crescimento (GH). É um quadro de crescimento desordenado, principalmente nos braços e nas pernas, sendo acompanhado de crescimento correspondente na estatura. Surgimento Pode surgir ainda na infância, antes da finalização do processo de calcificação, ou durante a puberdade, quando falhas genéticas impedem a calcificação normal desta fase. Em ambos os casos, ocorre uma superprodução do hormônio do crescimento, ocorrendo assim, o quadro de gigantismo. Acromegalia A acromegalia é um transtorno relacionado ao gigantismo, que ocorre devido à produção excessiva do hormônio de crescimento já na fase adulta (fase na qual as cartilagens de crescimento já se encontram fechadas). Neste caso, ocorre crescimento exagerado nas mãos, pés e queixo.”]

Gigantismo - http://www.todabiologia.com/doencas/gigantismo.htm

Bíblia de Estudo Pentecostal

Cúbito - http://www.malhatlantica.pt/mathis/Egipto/Berlim.htm

Cúbito - http://abel.mat.ufpb.br/~lepac/jcm.htm

Fêmur de Gigante - www.programamomentoscomjesus.com/osgigantesdabi blia.

Acelerador de Partículas  - www.G1.globo.com/noticias/tecnologia/

Preguiça Gigante - www.amazonialegal.com.br/ultimasnoticias

Mitologia Greco-Romana, Copyright© Editora Opus Ltda. Tradução Aldo Della Nina, René Ménard, Fittipaldi Editores Ltda. São Paulo, 1985.

 

 


Escrito por magloo.silva às 04:41:07 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Medidas de Gigantes

MEDIDAS ANTIGAS RELACIONADAS AOS GIGANTES

 Côvado - O Côvado era uma medida de comprimento antiga que media do cotovelo até o dedo médio de uma pessoa; possuindo uma variante pela finalidade e povo não podendo fechar uma definição concreta sobre sua real metragem. (Segundo o Dicionário Bíblico Ebenezer): Côvado – “Côvado é a distância entre o cotovelo e a ponta do dedo médio. O côvado em Ezequiel 43.13 equivale a 51,8 cm, pois soma um côvado mais quatro dedos. Em consequência, a cana (Ez 41.8) equivale a 3,11 m, pois é igual a seis côvados de Ezequiel.”.

Segundo a Bíblia de Estudo Pentecostal, página nº2020): “Côvado.....45 centímetros”. (Segundo o Minidicionário da Língua Português Aurélio Século XXI, página nº191): Côvado - “cô.va.do sm. Antiga medida da comprimento, correspondente a 66 centímetros.”. (Segundo o Dicionário da Enciclopédia Encarta 2001): Côvado – “côvado S.m. 1.Antiga unidade de medida comprimento equivalente a três palmos, ou seja, 0,66 m; cúbito.”.

Cúbito – O Cúbito é uma medida utilizada na antiguidade semelhante ao “côvado”; sendo que o termo cúbito nós encontramos em latim cubitus, cubitis, ou cubitum. (Segundo http://www.malhatlantica.pt/mathis/Egipto/Berlim.htm): Cúbito – “Pormenor de um cúbito real de cerca de 1330 a.C. A unidade de medida linear do Antigo Egito era o Cúbito Real, que correspondia a distância do cotovelo a ponta do dedo médio do Faraó. Em cerca de 2500 a.C. cúbito real era, aproximadamente, de 52,4 cm.”. (Segundo o Dicionário da Enciclopédia Encarta 2001): Cúbito – “S.m. 1. Anat. Osso longo situado na parte interna do antebraço. 2. Ant. Côvado.”. (Segundo http://abel.mat.ufpb.br/~lepac/jcm.htm): Cúbito – [“No passado cada povo tinha seus próprios padrões, o que gerava algumas dificuldades, por exemplo: o cúbito padronizado pelos sumérios era diferente do cúbito egípcio, e ambos diferiam do cúbito assírio. Cúbito sumério = 49,5 cm; Cúbito egípcio = 52,4 cm; Cúbito assírio = 54,9 cm.”]

Sua medida é de 0,50 metros, ou seja, 50 centímetros; estes medidos do cotovelo à ponta do dedo médio.

Algumas versões da Bíblia não trazem traduzido côvado, mas em seu lugar encontramos escrito cúbito; entre elas podemos citar: -

O cúbito aparece como medida mencionada no livro Apócrifo de Enoch quando descrito a estatura dos nefilins, ou seja os gigantes anti-diluvianos.

Um Nefilin segundo a mitologia judaica era um gigante de tamanho descomunal e estarrecedor como retratado no livro apócrifo de Enoch.

Seu tamanho e voracidade podem ser comparados aos titãs da mitologia grega.

Sua altura era de trezentos cúbitos, ou seja, cento e cinqüenta metros aproximadamente.

Como já aludimos quer seja côvado ou cúbito, a medida não era o nosso padronizado centímetro ou a polegada.

Mas quanto seria afinal essa medida na realidade presente? Vamos fazer um pequeno teste:

Tenho 1,72 – meu côvado ou cúbito é de 47 centímetros. / Cris    1,92 – seu côvado ou cúbito é de 54 centímetros. / Como poderemos padronizar em 45 centímetros essa medida riquíssima de variantes? /Fiz menção de dois exemplos práticos da mesma medida e não deu a mesma metragem. / Ainda foi encontrado um osso de Fêmur de 120 centímetros  e para minha surpresa a medida do cúbito é aproximada mente a do Fêmur.

Temos então um côvado de 120 centímetros; encontrado em uma escavação arqueológica. (Segundo www.programamomentoscomjesus.com/osgigantesdabiblia...): Fêmur de Gigante – [ “Há cerca de 5.500 anos, a estatura humana era sobremodo elevada. Existiam homens na Mesopotâmia cuja estatura ultrapassava 4 metros. Os primeiros gigantes, chamados na Bíblia de Nefilins (enfilins no original hebraico que significa "caídos" ou "desertores") poderiam ser ainda mais altos. Nos finais dos anos 50 durante a construção de uma estrada no sudeste da Turquia, em Homs e Uran-Zohra no Vale do Eufrates, região próxima de onde viveu Noé após o dilúvio, foram encontradas várias tumbas de gigantes. Elas tinham 4 metros de comprimento, e dentro de duas estavam ossos da coxa (fêmur humano) medindo cerca de 120 centímetros de comprimento. Calcula-se que esse humano tinha uma altura de aproximadamente 4 metros e pés de 53 centímetros. Uma cópia do osso (fotos abaixo) está sendo comercializada pelo Mt. Blanco Fossil Museum na cidade de Crosbyton, Texas, EUA, ao preço de 450 dólares”].

Temos então: Côvado padronizado 45 centímetros; / Cúbito padronizado  50 centímetros; / Meu côvado 47 centímetros / Côvado do Cris 54 centímetros / Côvado Dicionário Aurélio 66 centímetros; / Côvado arqueológico de 120 centímetros. Podemos concluir que essa medida é uma medida variável que se aplicava costumeira mente entre os povos da antiguidade podendo variar de acordo com a sua utilização, a raça do povo, e sua genética.

Se um osso de fêmur produto de uma escavação arqueológica possui 120 cm e o meu que é atual possui 47 cm; com toda certeza os antigos tinham uma maior estatura e conseqüentemente um côvado ou cúbito maior. Não podemos admitir que todo côvado seja 45 cm, ainda que isso fira o parecer dos grandes teólogos e estudiosos.


Escrito por magloo.silva às 04:37:34 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - O Tamanho dos Gigantes

O TAMANHO DOS GIGANTES

 

Um gigante então não poderia ser uma pessoa de 1,72 como eu; não poderia ser como o Cris que tem 1,92, não poderia ser um jogador de basquete de 2,15.

Um batente residencial padrão tem 2,20 e não o achamos um gigante.

O maior homem do mundo registrado no Livro dos Recordes possui 2,45 e isso foi registrado no ultimo Guinnes Book..

Imagine uma cama de 2,20 que é o tamanho de nossa porta e um côvado de 1,10; seria uma cama de 2 côvados e no caso de Ogue que a sua cama era de 9X4 sua cama poderia ser de 9,90; ai eu já acredito que podemos chamar de gigante.

Mas isso é impossível você pode argumentar.

Digo que não.

Veja existe um bicho preguiça - Sim ou não?

Sim é lógico, se você não o conhece pode ir ao Zoológico que Vera um.

Existe um bicho preguiça gigante – Sim ou Não?

Sim. E seu fóssil foi encontrado no Brasil.

Existiram os dinossauros – Sim ou Não.

Sim.Os esqueletos e as pinturas nas cavernas juntamente a matérias arqueológicos comprovam isso.

Se cremos que foi Deus que criou os animais e o homem como coroa da sua criação; como não crermos que o tamanho poderia ser proporcional para que tudo fosse harmônico?

Ou ainda os anjos poderiam ter assumido forma humana?

Sei que isso parece outra idiotice e é mais fácil acreditar na teoria da Linhagem piedosa ser ”os Filhos de Deus”; mas como já comprovamos através de nossas referencias textuais pode muito bem ser um anjo caído ou como chamamos hoje um demônio.

Como pode ser isso?

Vejamos a teoria  - “matéria é energia condensada” (Teoria da Relatividade – Einstein) que era meramente uma suposição aceita por alguns já pode ser comprovada através de uma maquina chamada (acelerador de partículas) temos então a possibilidade da divisão de uma matéria tornando-a; energia apenas. Isso quer dizer que se existisse uma força capaz de realizar a operação inversa teríamos a formação de uma nova matéria podendo assumir a forma desejada pela força. Ou seja, um ser espiritual (energia) de grande poder poderia facilmente assumir uma forma desejada.Isso explicaria as lendas populares de casos do demônio assumir as formas de – cachorro, gato, coruja, cavalo, anjo, criança, mulher, homem e velho. Assumindo a forma humana poderia ser irresistível a jovem mais bela que lhe agradasse a vista e de sua união carnal nasceriam seres híbridos de uma nova raça.

Sei que parece loucura mas é real.

(Segundo www.G1.globo.com/noticias/tecnologia/): Acelerador de Partículas – [ “Maior acelerador de partículas do mundo entra em funcionamento com sucesso Da EFE - Virginia Hebrero. Genebra, 10 set (EFE).- Aquela que é considerada a experiência científica do século - o início do funcionamento do maior acelerador de partículas do mundo, concebido para explorar os enigmas do Universo - começou hoje com sucesso na Organização Européia para a Pesquisa Nuclear (Cern). Em meio à alegria dos cientistas, que esperavam por este momento há anos, o primeiro feixe de prótons a ser lançado no Grande Colisor de Hádrons (LHC) fez a primeira volta completa em uma hora no gigantesco túnel circular subterrâneo de 27 quilômetros, que fica na fronteira entre a França e a Suíça. Horas depois, outro feixe de partículas, introduzido na direção oposta, no sentido anti-horário, conseguiu percorrer todo o acelerador. "Hoje é um dia histórico após 20 anos de trabalho e esforços de milhares de cientistas do mundo", disse à imprensa o diretor-geral do Cern, Robert Aymar. "Pela primeira vez se conseguiu que o acelerador aceitasse as partículas e que elas circulassem", declarou. Na experiência de hoje, no entanto, as partículas foram lançadas com muito pouca velocidade e pouco a pouco para comprovar que todas as peças do LHC funcionassem corretamente. Após o êxito dos primeiros testes, a pergunta que fica no ar é quando acontecerão as primeiras colisões frontais de partículas com velocidade próxima à da luz, ou seja, quando serão recriados os instantes posteriores ao Big Bang, o momento sonhado pelos cientistas, mas temido por aqueles que acham que levará ao fim do mundo. "Não sei quanto tempo demorará. É muito difícil saber. Dependerá de quando a máquina estiver funcionando a pleno rendimento, mas esperamos que seja em poucos meses", afirmou Lyn Evans, diretor do projeto do LHC. Os cientistas do Cern começarão amanhã mesmo a lançarem feixes em sentidos opostos, e as primeiras colisões poderiam acontecer nas próximas semanas, mas com pouca energia, até alcançar, no final do ano, um máximo de energia de 5 TeV (teraelétron-volts). Quatro enormes detectores - ATLAS, ALICE, LHCb e CMS -, instalados no acelerador para permitir a observação das colisões frontais entre os prótons serão responsáveis por observarem os milhões de dados que surgirem. Com custo de US$ 5,64 bilhões, o experimento sem precedentes do LHC foi hoje justificado por seus responsáveis e vários especialistas. "Sabemos que, apesar dos grandes conhecimentos que temos do Universo, desconhecemos 95% da matéria, e agora temos o mecanismo para transformar a teoria filosófica do Big Bang em física experimental, o que é absolutamente fantástico", afirmou o Prêmio Nobel de Física de 1984 Carlos Rubbia. "Agora estamos em posição de poder retroceder muito mais, até a origem do Universo, e de poder não apenas observar, mas simular estes instantes", declarou o físico italiano. "Saber de onde viemos e para onde vamos sempre foi a pergunta que o homem se fez", disse Aymar. No entanto, Aymar destacou que as descobertas do Cern transcendem a física teórica e têm importantes contribuições práticas, como no campo da medicina, mas também em exemplos como o agora imprescindível "www", inventado por cientistas do Cern em 1990. Um dos grandes objetivos do LHC é descobrir o hipotético bóson de Higgs, chamada por alguns de "partícula de Deus" e que seria a partícula atômica número 25, após as 24 já constatadas. A existência desta partícula, que deve seu nome ao físico britânico Peter Higgs, que previu sua existência há 30 anos, é considerada indispensável para explicar a razão de as partículas elementares terem massa, pois as massas são tão diferentes entre elas e confirmaria os modelos usados pela física para explicar o Universo, as forças e sua relação. "Estamos convencidos de que o que chamamos de modelo standard (dominante na física) não está completo", afirmou Aymar, embora tenha previsto que nenhuma descoberta deste calibre será feita antes de três anos. Se o bóson de Higgs existe, poderia ser detectado após a colisão de partículas no LHC com velocidade próxima à da luz, afirmam os especialistas. Por outro lado, Evans afirmou que este acelerador "é um exercício em massa de colaboração mundial, no qual participaram cientistas e especialistas de muitos países, raças e religiões". Cerca de 10 mil cientistas participaram deste projeto do Cern, entidade que pertence a 20 Estados europeus, mas no qual muitos outros países têm status de observadores. EFE”].


Escrito por magloo.silva às 04:32:21 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - OS GIGANTES / A PREGUIÇA

Os gigantes  3ª Parte

Temos os animais gigantes ou pré-históricos que alguns insistem em negar sua existência; mas os esqueletos e materiais arqueológicos provam o contrário, pois, as descobertas fósseis não param. Temos uma Preguiça Gigante das Amazônia e isso é real.

A Preguiça Gigante media aproximadamente 6 metros. (Segundo www.amazonialegal.com.br/ultimasnoticias): Preguiça Gigante - [“26/02/02 PREGUIÇA GIGANTE VIVEU HÁ 13 MIL ANOS O fóssil de uma preguiça gigante encontrado em julho do ano passado, no município de Itaituba (PA), juntamente com os restos de outras duas preguiças e um mastodonte, possui 13.340 anos. O material foi datado nos Estados Unidos, e o resultado do exame foi encaminhado na semana passada ao Museu Paraense Emílio Goeldi, instituto de pesquisa vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia e responsável pelo estudo do material. Somente o fóssil de uma preguiça pôde ser datado porque preservou o colágeno, proteína contida no osso, o que possibilitou a datação do material através da análise do Carbono 14. Essa é a primeira datação em um exemplar em fósseis de mamíferos da Amazônia. O fóssil do animal encontrado é uma de uma preguiça gigante terrícola, da ordem Xenarthra (ou Edentata), grupo muito antigo na América do Sul, cujos representantes atuais são o bicho preguiça, o tatu e o tamanduá. O mamífero gigante media cerca de 6 metros de comprimento, vivia na terra e se alimentava de folhas. O material estava enterrado em uma propriedade privada em Itaituba e foi encontrado durante escavações para fazer um tanque de criação de peixes. Ao que tudo indica, os animais foram levados por uma enxurrada e ficaram presos em um buraco. O mastodonte seria mais antigo, pois se localizava mais abaixo do local onde foram encontrados os fósseis das preguiças, a cerca de 3 metros da superfície. O grande porte do animal, a dificuldade de movimentação e o fato de viver em bandos confirmam a teoria de que há cerca de 14 mil anos, a Amazônia era uma imensa savana, parecida com o que é hoje a África. "Com essas características é impossível imaginar que a preguiça vivesse em uma floresta densa", explica o paleontólogo e diretor do Museu Emílio Goeldi, Peter Toledo, que estuda os fósseis encontrados.”].

Na mitologia encontramos o relato dos Nefilins mencionados no Livro Apócrifo de Enoch que alude sua estatura a trezentos Cúbitos, ou seja, aproximadamente cento e cinqüenta metros.

(Segundo o Livro Apócrifo de Enoch ou Enoch 1,capítulo 7, página nº 03): “...(6) O  texto  aramaico  preserva  uma  lista  anterior  dos  nomes  destes Guardiães  ou  Sentinelas:  Semihazah;  Artqoph; Ramtel;  Kokabel;  Ramel;  Danieal;  Zeqiel;  Baraqel;  Asael;  Hermoni;  Matarel;  Ananel;  Stawel;  Samsiel;  Sahriel; Tummiel; Turiel; Yomiel; Yhaddiel (Milik, p. 151). Então  eles  tomaram  esposas,  cada  um  escolhendo  por  si  mesmo;  as  quais  eles  começaram  a abordar, e com as quais eles coabitaram, ensinando-lhes sortilégios, encantamentos,e a divisão de raízes e árvores. E as mulheres conceberam e geraram gigantes, (7).(7) O texto grego varia consideravelmente do etíope aqui. Um manuscrito grego acrescenta a esta secção, "E elas [as mulheres]  geraram  a  eles  [as  Sentinelas]  três  raças:  os  grandes  gigantes.  Os  gigantes  trouxeram  [alguns  dizem “mataram"]  os Naphelim,  e  os Naphelim  trouxeram  [ou  "mataram"]  os Elioud. E  eles  sobreviveram,  crescendo  em poder de acordo com a sua grandeza." Veja o registro no Livro dos Jubileus. Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e tornou-se impossível alimentá-los; Então eles voltaram-se contra os homens, a fim de devorá-los; E  começaram  a  ferir  pássaros,  animais,  répteis  e  peixes,  para  comer  sua  carne,  um  depois  do outro, (8)e para beber seu sangue. (8) Sua  carne, um  depois  do  outro. Ou,  "de  uma  outra  carne". R.H. Charles  nota  que  esta  frase  pode  referir-se  à destruição de uma classe de gigantes por outra. (Charles, p. 65). Então a terra reprovou os injustos.”.  

CONCLUSÃO

 Agora de posse dessa gama de conhecimentos a respeito de todos esses registros uns históricos, mitológicos e científicos. Podemos concluir que os polêmicos gigantes (Nefilins – judaicos) ou (Titãs – gregos) mencionados na Bíblia fazem parte de um mito da antiguidade. Mesmo sendo um mito ele possui um fundo de verdade. Isso quer dizer que algum ser grande muito além do normal parecido com os homens que na maioria povoavam o mundo conhecido da antiguidade podem muito bem ter existido e provocado os mitos e lendas a respeito desses Gigantes. O gigantismo é algo real e antigamente não se fazia nem idéia de sua existência. E ainda se Deus criou uma preguiça de 6 metros não poderia ter permitido a geração de homens de proporcional tamanho? Os dinos foram extintos e os gigantes não o poderiam também ter sido? Nem toda passagem pode ser interpretada alegoricamente ou espiritualizada. A Bíblia também possui mitos, lendas, tradições, história, ciência, e fatos reais. O Espírito Santo deve inspirar-nos como inspirou os escritores Bíblicos; não apenas a escrever, mas a transmitir a sua palavra de maneira poderosa sem deixar de instruir o povo de Deus e as pessoas comuns. Deus o Abençoe.

  Bibliografia:

Livro do Recordes – www.metiredesseocio.com/tag/livro-dos-recordes.

Gigantismo - http://www.todabiologia.com/doencas/gigantismo.htm

Acelerador de Partículas  - www.G1.globo.com/noticias/tecnologia/

Preguiça Gigante - www.amazonialegal.com.br/ultimasnoticias

http://www.xr.pro.br/Religiao.html - - Contato:murilo.maciel@teologiaclub.com 


Escrito por magloo.silva às 04:29:06 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - O Movimento Sapicencial

O MOVIMENTO SAPIENCIAL

A literatura sapiencial floresceu em todo o Antigo Oriente. Ao longo de sua história, o Egito produziu escritos de sabedoria. Na Mesopotâmia, desde a época sumérica, foram compostos provérbios, fábulas e poemas sobre o sofrimento que se assemelham ao livro de Jó. Esta sabedoria mesopotâmica penetrou em Canaã: encontraram-se em Rás Shamra textos sapienciais escritos em acádico. Dos ambientes de língua aramaica procede a Sabedoria de Aicar, de origem assíria e traduzida em diversas línguas antigas. Esta sabedoria é internacional. Tem poucas preocupações religiosas e se detém no plano profano. Esclarece o destino dos indivíduos, não por uma reflexão filosófica à maneira dos gregos, mas colhendo os frutos da experiência. É uma arte de viver bem e um sinal de boa educação. Ensina o homem a se conformar à ordem do universo e deveria dar-lhe meios de ser feliz e prosperar. Mas nem sempre isso acontece; por isso, esta experiência justifica o pessimismo de certas obras de sabedoria, tanto no Egito como na Mesopotâmia.

Esta sabedoria foi conhecida pelos israelitas. O mais belo elogio que a Bíblia pensa fazer da sabedoria de Salomão é que ela ultrapassava a dos filhos do Oriente e a do Egito (1 Rs 4.24). Os sábios árabes e Edomitas eram afamados (Jr 49.7; Br 3.22-23; Ab 8). Jó e os três sábios, seus amigos, viviam em Edom. O autor de Tobias conhecia a sabedoria de Aicar (22.17-23.11) tem estreita relação com as máximas de Amenemopê. Diversos salmos são atribuídos a Hemã e a Etã, que são sábios de Canaã, segundo 1 Rs 4.3. O livro dos Provérbios contém as Palavras de Agur (Pv. 30.1-4) e as Palavras de Lamuel (Pv. 31.1-9), ambos originários de Massa, tribo do norte da Arábia (Gn 25.14).

Não é de se admirar que as primeiras obras sapienciais de Israel se pareçam muito com a de seus vizinhos: todas elas provêm do mesmo ambiente. As partes antigas de Provérbios não apresentam senão preceitos de sabedoria humana. Se excetuarmos Eclesiástico e Sabedoria, que são os mais recentes, os livros sapienciais não abordam os grandes temas do Antigo Testamento: A Lei, a Aliança, a Eleição, a Salvação. Os sábios de Israel não se preocupavam com a história ou com o futuro do seu povo; eles pesquisam os destino dos indivíduos, como seus colegas orientais. Mas o consideram sob uma luz mais alta, a da religião javista. Apesar de uma origem comum e de tantas semelhanças, existe, por essa causa, em favor da sabedoria israelita, uma diferença essencial, que se acentua com o progresso da Revelação. A oposição entre justiça e iniquidade, entre piedade e impiedade. A verdadeira sabedoria é, com efeito, o temor de Deus, e o temor de Deus é a piedade. Se a sabedoria oriental é um humanismo, poder-se-ia dizer que a sabedoria israelita é um "humanismo devoto".

Mas esse valor religioso da sabedoria só se mostrou pouco a pouco. O termo hebraico tem uma significação complexa: pode designar a habilidade manual ou profissional, o senso político, o discernimento, e também a astúcia, o "jeitinho" e a arte da magia. Essa sabedoria humana pode-se exercer com finalidade boa ou má, e tal ambigüidade justifica os juízos desfavoráveis que os profetas fazem sobre os sábios, como em Is 5.21; 29.14; Jr 8.9. Ela pode explicar também por que custaram tanto a falar da sabedoria de Deus, embora seja ele quem a dá aos homens e embora já em Ugarite a sabedoria fosse o atributo do grande deus El. É somente nos escritos pós-exílicos que se dirá que só Deus é sábio, possuindo uma sabedoria transcendente, que o homem vê atuando na criação, mas que é incapaz de perscrutar (Jó 28; 38--39; Eclo 1.1-10; 16.24s; 39.12; 42.15--43.33 etc.) No grande prólogo que encabeça o livro dos Provérbios (1.1-9) a Sabedoria fala como uma pessoa, está ao mesmo tempo presente em Deus desde a eternidade e agindo com ele na criação (sobretudo Pv. 8.22-32). Em Jó 28, ela aparece como distinta de Deus, que é o único a conhecer onde ela se esconde. Em Eclo 24, a própria Sabedoria se declara saída da boca do Altíssimo, habitando nos céus e enviada a Israel por Deus. Em Sb 7.22--8.1 ela é uma efusão da glória do Todo-Poderoso, uma imagem da excelência. Assim a Sabedoria, atributo de Deus, se destaca dele e torna-se uma pessoa. Na fé do Antigo Testamento, essas expressões tão vivas excedem os limites de uma personificação literária, mas guardam seu mistério e preparam para a revelação das Pessoas Divinas. O logos de João, como essa Sabedoria, está ao mesmo tempo em Deus e fora de Deus, e todos esses grandes textos justificam o título de "Sabedoria de Deus" que Paulo dá a Cristo (1 Co 1.24).

Como o destino dos indivíduos era a preocupação dominante dos sábios, o problema da retribuição tinha para eles uma importância capital. É no seu ambiente e por sua reflexão que a doutrina evolui. Nas partes antigas dos Provérbios, a sabedoria, isto é, a justiça, conduz necessariamente à felicidade e a insensatez, isto é, a iniquidade, leva a ruína. É Deus que assim recompensa os bons e pune os maus. Tal é ainda a posição do prólogo dos Provérbios (3.33-35; 9.6-18). Esta doutrina é então a base do ensinamento de sabedoria e se deduz do fato de o mundo ser governado por um Deus sábio e justo. Ela pretende apelar para uma experiência, porém a experiência a miúdo a contradiz. É que expões de maneira dramática o livro de Jó, no qual os três amigos defendem a tese tradicional. Mas para a questão do justo infeliz não há resposta que satisfaça o espírito, se nos limitarmos às retribuições terrenas; não há outra saída senão de aderir a Deus na fé, apesar de tudo. Por mais divergente que seja o seu tom, o Eclesiastes não apresenta outra solução; sublinha também a insuficiência das respostas correntes, nega que se possa pedir contas a Deus e exigir felicidade como algo devido. O Eclesiástico permanece fiel à mesma doutrina: exalta a felicidade do sábio (14.20--15.10), mas a idéia da morte o atormenta e ele sabe que tudo depende desta última hora. Diz que "é fácil para o Senhor, no dia da morte, retribuir a casa um segundo as suas obras" (11.26; 1.13; 7.36; 28.6; 41.9). Pressente a doutrina dos "novíssimos", mas não a exprime claramente. Pouco depois dele, Dn 12.2 explicitará a fé numa retribuição após a morte e no pensamento dele esta fé estará ligada à fé na ressurreição dos mortos, já que a mentalidade hebraica não concebe uma visão do espírito separado da carne. No judaísmo alexandrino o doutrina progredirá num caminho paralelo e irá mais adiante. Depois que a filosofia platônica tiver libertado o pensamento hebraico de seus entraves, o livro da Sabedoria afirmará que "Deus criou o homem para a imortalidade" (2.23) e que depois da morte a alma fiel gozará de uma felicidade sem fim junto de Deus, enquanto os ímpios receberão seu castigo (3.1-12). Assim, finalmente, estará dada a resposta ao grande problema dos sábios de Israel.

A forma mais simples e mais antiga da literatura sapiencial é o mâshâl. E esse, no plural, o título do livro que chamamos de "Provérbios". O mâshâl é, mais exatamente, uma fórmula surpreendente, um ditado popular ou uma máxima. As coleções antigas dos Provérbios contém apenas sentenças breves. Depois o mâshâl se desenvolve, tornar-se parábola ou alegoria, discurso ou raciocínio. Esta evolução perceptível já nas pequenas seções anexas dos Provérbios e mais ainda no Prólogo (1-9), acelera-se nos livros seguintes: Jó e Sabedoria são grandes obras literárias.

Por detrás de todas essas formas literárias, mesmo ou mais simples, a origem da sabedoria deve ser procurada na vida da família ou do clã. As observações sobre a natureza e sobre os homens, acumuladas de geração em geração, se exprimiram em sentenças, em ditados populares, em curtos apólogos, que tinham uma aplicação moral e que serviam de normas de conduta. A mesma origem pode ser atribuída às primeiras formulações do direito consuetudinário, que às vezes se assemelham, no conteúdo e não só na forma, às sentenças de sabedoria. Essa corrente de sabedoria popular prosseguiu paralelamente à formação das coleções sapienciais. Dela se originam, por exemplo, os provérbios de 1 Sm 24.14; 1 Rs 20.11; a fábula de Jz 9.8-15 e a de 2 Rs 14.9 e até mesmo os profetas dela extraíram textos como Is 28.24-28; Jr 17.5-11.

A brevidade das sentenças, que assim se gravam na memória, destinava-as ao ensino oral. O pai ou a mãe ensina-as ao filho (Pv. 1.8; 4.1; 31.1; Eclo 3.1) e o mestre continuará chamado de "seu filho" ao discípulo que forma, pois os sábios fazem escola (Eclo 51.23,26; cf. com Pv. 7.1s; 9.1s). A sabedoria torna-se privilégio da classe erudita, daquela, por conseguinte, que também sabe escrever; sábios e escribas aparecem; sábios e escribas aparecem lado a lado em Jr 8.8-9 e Eclo 38.24--39.11) enaltece, opondo-as aos trabalhos braçais, a profissão do escriba que lhe permite adquirir a sabedoria. Dentre os escribas o rei escolhia seus funcionários, e foi na corte que primeiro se desenvolveram as doutrinas de sabedoria. Todos esses traços têm paralelos exatos nos outros ambientes da sabedoria oriental, no Egito ou na Mesopotâmia. Uma das coleções salomônicas dos Provérbios foi reunida pelos "homens de Ezequias, rei de Judá" (Pv. 25.11). Mas estes sábios não eram apenas colecionadores de máximas antigas; eles próprios também escreviam. Duas obras literárias compostas provavelmente na corte de Salomão, a história de José e a da sucessão ao trono de Davi, podem ser consideradas como escritos de sabedoria.

Os ambientes dos sábios é, pois, bem diferente daqueles donde procedem os escritos sacerdotais ou proféticos, e Jr 18.18 enumera, como formando três classes, os sacerdotes, os sábios e os profetas. As preocupações deles são diferentes: os sábios não tem interesse especial pelo culto, não parecem comovidos com as calamidades do seu povo, nem influenciados pela grande esperança que o sustenta. Mas, a partir do Exílio, estas três correntes se tocam. O prólogo dos Provérbios assume o tom de uma pregação profética, o Eclesiástico (44-49) e a Sabedoria (10-19) meditam longamente sobre a História Sagrada; o Eclesiástico venera o sacerdócio, mostra-se um entusiasta do culto e enfim identifica a Sabedoria e Lei (Eclo 24.23-34): é a aliança entre o escriba (ou o sábio) e o doutor da Lei, que encontraremos nos tempos evangélicos.

Aqui chegamos, no Antigo Testamento, ao termo de uma longa caminhada em cujo início se colocava Salomão. Também neste ponto se encontram paralelos orientais: dois escritos da sabedoria egípcia eram consideradas como ensinamentos dados por um Faraó a seu filho. Desde 1 Rs 5.9-14 (cf. 3.9-12,28; 10.1-9) até Eclo 47.12-17, Salomão foi exaltado como o maior sábio de Israel, e as duas coleções mais importantes e mais antigas de Provérbios (10--22 e 25--19) lhe são atribuídas; isto explica o título dado ao livro inteiro (Pv. 1.1). Também foram colocados sob seu nome o Eclesiastes, a Sabedoria e o Cântico dos Cânticos. Todo esse conhecimento comunicado gradualmente ao povo eleito preparava a revelação da sabedoria Encarnada. Mas "aqui está algo mais do que Salomão" (Mt 12.42).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Bíblia. Português. Bíblia de Jerusalém. Ed. Paulinas

ANDREATA, Ocir de Paula. Apostila Os Livros Poéticos. FATADC 2001

http://www.teologiaclub.com/sapiencial.htm


Escrito por magloo.silva às 04:17:53 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE- Ser Pai e ser Mãe

SER PAI E SER MÃE - APRENDENDO COM OS SAPOS

Por: Josias Dias da Costa

Cada vez que leio em oração o Salmo 127(126) mais tomo consciência do que seja o exercício da paternidade e da maternidade. O salmista, na sua extraordinária sabedoria, diz que “Os filhos são um dom do Senhor, os frutos das entranhas uma recompensa”.

Então, isso deveria levar um pai ou uma mãe a pensar: “Se os filhos são um dom de Deus, eles não nos pertencem”. É isso mesmo os filhos não são propriedades dos pais. Ser pai e ser mãe é uma missão divina, é um serviço a Deus, para cuidar de uma dádiva que a Ele pertence.

Diz também o salmo que “Os filhos gerados na juventude são como flechas na mão de um guerreiro”. E o que o guerreiro faz com as flechas? Ele a tira da aljava e lança-a em direção a um alvo.

Ser pai e ser mãe não significa, portanto, estender as “garras” sobre os filhos como se fossem “coisinhas lindas”, “trenzinhos bonitinhos”, “bichinhos engraçadinhos” ou “piazinhos belos”, para fazer deles seus objetos, muitas vezes objetos de seus caprichos, de suas intrigas, de suas raivas e de suas vontades.

O verdadeiro pai e a verdadeira mãe são aqueles que educam os filhos para que cresçam e vão embora, seguindo o seu próprio caminho. E quando isso acontece, eles dizem, às vezes com o coração apertado, mas cheios de contentamento: “Cumprimos a nossa missão!”. E dizem isso tranquilos, porque sabem que seus filhos levaram consigo uma herança imperecível que são os valores que deles aprenderam. 

As pessoas que têm uma personalidade marcante na sociedade são aquelas que receberam, sobretudo dos pais e avós, a devida atenção, o afeto e o amor na devida medida. O amor recebido torna as pessoas doadoras. Ninguém pode dar o que não tem. E com o amor não é diferente. Só pode amar quem recebeu amor.

A correção necessária, os valores cristãos e a consciência moral que adquirem a respeito dos outros, das coisas dos outros e das coisas públicas despertaram as crianças e os jovens a conduzir bem suas vidas quando se tornarem adultos. E a probabilidade de serem pessoas felizes e com maior contentamento com a vida é muito maior.

Muitos pais não entendem porque os seus próprios pais tratam os netos de forma diferente daquela com a qual os trataram. Outros acham que os seus filhos podem ser “estragados” pelos avós, que estão dispostos a concederem mais do que eles mesmos concedem. Acontece que os pais, enquanto pais – assim costumo dizer – são sapos dentro da lagoa. Os sapos, dentro da lagoa, não conseguem ver a lagoa toda; isso só acontece quando saem da lagoa. Aí, sim, têm uma visão completa da mesma. Da mesma forma, os pais, enquanto sapos dentro da lagoa, não conseguem ver todas as possibilidades. Mas um dia eles se tornam avós e conseguem ver tudo o que poderiam ter sido enquanto pais.

Os avós são os sapos fora da lagoa. Eles estão fora, mas trazem consigo a riqueza da experiência adquirida enquanto estiveram lá dentro. Eles precisam dos netos para se redimir dos pais que não foram. E os netos precisam deles tanto para usufruir da serenidade e da experiência daqueles que são as suas raízes mais profundas quanto para entenderem o que eles um dia serão.

O pai guerreiro e a mãe guerreira de hoje poderão muito bem, especialmente durante as férias, tirar as pequenas flechas de suas aljavas e colocá-las um pouco no colo dos velhos guerreiros de ontem para que essas pequenas flechas sejam melhores lapidadas e estejam mais propícias a acertarem o alvo desejado.

Fonte:  Josias Dias da Costa é monge beneditino do Mosteiro São Bento de Goiânia.

Contato: josiasosb@hotmail.com


Escrito por magloo.silva às 04:13:02 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE- Elementos da Religião / Religião e Heresia

ELEMENTOS DA RELIGIÃO

 

Elementos da Religião: Para ser religião completa exigem-se seis elementos essenciais. Se faltar algum deles, nós não podemos dizer que se trate realmente de uma religião verdadeira e completa.

 

a) doutrina (crença -dogma): procura dar explicação da origem de tudo, do sentido da vida, dor, matéria, o além etc. As religiões têm sua doutrina escrita num Livro Sagrado. Sua fonte: Para as religiões primitivas: animismo, fetichismo, politeísmo: a tradição dos antepassados. Para as sapienciais: a palavra dos sábios iluminados: hinduísmo, budismo, xintoísmo, confucionismo, taoísmo, Para as religiões proféticas: Deus se revela pelos profetas.

 

b) Ritos cerimônias, celebrações, sacerdócio. Liturgia. Culto, Altar.

 

c) Ética leis- comportamentos. Assume a ética e a moralidade.

 

d) Comunidade: compromisso social, comunitário, especialmente com os mais pobres.

 

 e) Relacionamento eu-tu .Cria-se a fraternidade. Ensina-se que somos todos irmãos.

 

f) Ligação do temporal com o eterno. Do homem com Deus ou com os Deuses.

 

Observe-se que em nossa região deve haver mais de 1.000 igrejas: quantas são mesmo uma Religião? O Rotary Clube e o Lions Clube são Entidades sérias, mas não são religião.

 

Como surgiu a religião? O antropólogo TYLOR criou o termo animismo para explicar o início das religiões, em que o homem primitivo acreditava que tudo tem ALMA =ANIMA.

RELIGIÃO deriva do termo latino RE LIGARE que significa religação com o divino.Essa definição engloba necessariamente qualquer forma de aspecto místico e religioso, abrangendo seitas, mitologias e quaisquer outras doutrinas ou formas de pensamento que tenham como característica fundamental um conteúdo metafísico, ou seja, de além do mundo físico.Sendo assim o hábito geralmente por parte dos grupos religiosos de taxarem tal ou qual grupo religioso rival de seita não tem apoio na definição do termo seita, derivado da palavra latina SECTA, nada mais é do que um segmento minoritário que se diferencia das crenças majoritárias, mas como também é religião.

Heresia é outro termo mal compreendido significa simplesmente um conteúdo que vai contra a estrutura teórica de uma religião dominante sendo assim o cristianismo foi uma heresia judaica assim como o protestantismo uma heresia católica, ou o budismo uma heresia hinduísta.

Sendo assim o hábito, geralmente por parte de grupos religiosos de taxarem tal ou qual grupo religioso rival de seita, não têm apoio na definição do termo. SEITA, derivado da palavra latina "Secta", nada mais é do que um segmento minoritário que se diferencia das crenças majoritárias, mas como tal também é religião.

HERESIA é outro termo mal compreendido. Significa simplesmente um conteúdo que vai contra a estrutura teórica de uma religião dominante. Sendo assim o Cristianismo foi uma Heresia Judáica assim como o Protestantismo uma Heresia Católica, ou o Budismo uma Heresia Hinduísta.

A MITOLOGIA é uma coleção de contos e lendas com uma concepção mística em comum, sendo parte integrante da maioria das religiões, mas suas formas variam grandemente dependendo da estrutura fundamental da crença religiosa. Não há religião sem mitos, mas podem existir mitos que não participem de uma religião.

MÍSTICA pode ser entendida como qualquer coisa que diga respeito a um plano sobre material. Um "Mistério".

TIPOS DE RELIGIÃO:

 

Há vários tipos de religião, e são muitos os modos que vários estudiosos utilizam para classifica-las. Pôr há características comuns as religiões que aparecem com maior ou menor destaque em praticamente todas as divisões.

 

São elas: Panteísta, politeísta, monoteísta e ateísta. Panteísta.

As mais antigas remontando a pré historia onde tinham predominância absoluta e também presente em muitos dos povos silvícolas das Américas, África e Oceania.Para os panteístas DEUS é o próprio mundo, tudo esta interligada num equilíbrio ecossistêmico e místico.Crê se em espíritos e geralmente em reencarnação, e comum também o culto aos antepassados, procura se manter a harmonia com a natureza, e o mundo comumente é tido como eterno.

 

Algumas religiões panteístas: Xamanismo, religiões célticas, druidismo, amazônicas, indígenas norte americanas africanas, pansignifica natureza idéia de que tudo é deus que todos os elementos e coisas existentes são o próprio corpo de deus e que embora possua uma dimensão invisível esta intimamente ligada à natureza e relacionado a todos os eventos.

 

http://www.grupoescolar.com/materia/o_que_e_religiao.html


Escrito por magloo.silva às 04:00:48 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Grandes Cientistas Religiosos

GRANDES CIENTISTAS RELIGIOSOS

 

Isaac Newton (1642 1727) Fundador da física clássica "A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode."William Herschel (1738 1822) Astrônomo, descobriu o planetaUrano. Quanto mais o campo das ciências naturais se dilata, tanto mais numerosas e irrefutáveis se tornam as provas da eterna existência de uma sabedoria a quem use apenas a sua razão.

 Alessandro Volta (1779 1855) Físico italiano, descobriu a pilha elétrica. Submeti a um estudo profundo as verdades fundamentais da fé, e deste modo concentrei eloquentes teste, munhos que tornam a religião acreditável a quem use apenas a sua razão.

 André Marie Ampére (1775 1836) Físico e matemático, descobridor da lei da eletrodinâmica "A mais persuasiva demonstração da existência de Deus depreende-se da evidente harmonia daqueles meios que asseguram a ordem do univero e pelos quais os seres vivos encontram no seu organismo tudo aquilo que precisam para a sua subsistência, a sua reprodução e o desenvolvimento das suas virtualidades físicas e espirituais.

 Ians Jacob Berzelius (1779 1848) Químico sueco, descobridor de vários elementos. Tudo o que se relaciona com a natureza orgênica revela uma sábia finalidade e apresenta-se como produto de uma inteligência Superior.

"Karl Friedrich Gauss (1777 1855) Astrônomo, físico e, considerado um dos maiores matemáticos de todos os tempos. Quando tocar a nossa última hora, teremos a indizível alegria de ver Aquele que em trabalho apenas pudemos pressentir."

Agustin Louis Cauchy (1789 1857) Matemático, desenvolveu o cálculo infinitesimal. Sou cristão, isto é, creio na divindade de Cristo como Tycho Brahe, Copérnico, Descartes, Newton, Leibniz, Pascal (.), como todos os grandes astrônomos e matemáticos da antiguidade."James Prescott Joule (1818 1889) Físico, estudioso do calor, do eletromagnetismo e descobridor da lei que leva seu nome. Nós topamos com uma grande variedade de fenômenos quem em linguagem inequívoca falam da sabedoria e da bendita mão do Grande Mestre das obras."Ernest Werner von Siemens (1816 1892) Engenheiro inventor da eletrotécnica e estudioso de telecomunicações.

Quanto mais fundo penetramos na harmonia dinâmica da natureza, tanto mais nos sentimos inspirados a uma atitude de modéstia e humildade a tanto mais se eleva a nossa admiração pela infinita Sabedoria, que penetra todas as criaturas."William Thompson kelvin (1824 1907) Físico, pai termodinâmica. Estamos cercados de assombrosos testemunhos de inteligência e benévolo planejamento; eles nos mostram através de toda a natureza a obra de uma vontade livre e ensinam-nos que todos os seres vivos são dependentes de um eterno Criador e Senhor."Albert Eistein (1879 1955) Físico, judeu alemão, criador da teoria da relatividade. Nobel de 1921.

Todo o profundo pesquisador da natureza deve conceber uma espécie de sentimento religioso, pois não pode admitir que seja ele o primeiro a perceber os extraordinariamente belos conjuntos de seres que contempla.

No universo, incompreensível como é, manifesta-se uma inteligência superior e ilimitada. A opinião corrente de que sou ateu baseia-se num grande equívoco. Quem a quisesse depreender das minhas teorias científicas, não teria compreendido o meu pensamento."


Escrito por magloo.silva às 03:43:13 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Características do Estado Místico

CARACTERÍSTICAS DO ESTADO MÍSTICO

 

Maria Glória da Silva

 

Com base nos relatos de místicos de várias épocas e culturas, normalmente são atribuídas as seguintes características à experiência mística:

 

O místico sente uma unidade em todas as coisas. Há apenas uma consciência ou um Deus que permeia tudo. Embora o místico já venha se preparando há muito tempo para seu encontro com Deus, ou com o espírito universal, sente-se passivo quando isso acontece. É como se ele fosse tomado por uma força externa. Essa condição se caracteriza pela intemporalidade.

 

O místico se sente arrancado para fora da existência normal de quatro dimensões. O êxtase em si é transitório, e em geral não dura mais que alguns minutos. Mas ele possibilita um novo insight, que permance com o místico depois da experiência. Essa compreensão é inexprimível, não pode ser comunicada a outros. Como a experiência é paradoxal em si mesma, o místico vai usar paradoxos ao tentar descrever o estado que experimentou. Assim, pode definir o ser encontrado como "abundância e vazio",escuridão ofuscante" ou algo parecido.

 

É somente quando o místico apresenta uma interpretação religiosa ou filosófica de sua experiência mística que o seu contexto cultural entra em foco. Especialmente no misticismo ocidental (cristianismo, judaísmo e islã), o místico irá ressaltar que seu encontro foi com um Deus pessoal. Mesmo que tenha sido "absorvido em Deus",ele costuma dar ênfase ao fato de que havia uma certa distância entre Deus e o mundo. Algo da relação eu-tu, ou eu-Deus, se mantém.

 

Esse tipo de misticismo já foi chamado de misticismo teísta. No misticismo oriental (hinduísmo, budismo e taoísmo) é mais comum afirmar uma identidade total entre o indivíduo e a divindade, ou o espírito universal. Poderíamos dizer que esse encontro do místico com a divindade ocorre como uma relação eu-eu. Sim, pois Deus não está presente como uma mera centelha na alma do homem.


Escrito por magloo.silva às 03:35:19 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Mito Lenda / Fábula, Mistica

MITO LENDA / FÁBULA

Maria Glória da Silva

 -A mitologia:

► O mito é uma história que geralmente acompanha um rito.

► O rito confirma o um ato em que o mito se baseia.

► Mito: tentativa para explicar a origem do universo, das coisas, dos animais, das pessoas. Para isso, se criaram histórias sem lógica, imaginárias, lendárias e sagradas. Essas histórias não podiam ser desmentidas, pois, se dizia, eram originadas dos deuses.

►As histórias mitológicas não são verdadeiras, mas tentam explicar as origens e sentido das coisas e da vida.

► A bíblia também tem narrações mitológicas como à da criação do mundo no Gênesis. O livro do Gênesis, dos capítulos 1 a 11: desde Adão e Eva, tem uma linguagem mítica. São histórias míticas da bíblia: Sansão. As pragas do Egito. Josué que parou o sol: Josué 12. Jonas foi engolido pela baleia.

 ►O autor bíblico utilizou-se de um estilo literário mítico para poder transmitir a palavra e a mensagem de Deus. O personagem principal do mito é Deus ou os Deuses: Cosmogonia, Teogonia. Antropogenia. Nas lendas o personagem principal é a pessoa humana, já nas fábulas o personagem principal é um ou vários animais.

 

COMO SURGIU O UNIVERSO, O COSMOS, O MUNDO?

 

Cada povo, cada cultura tem seus mitos tentando explicar a origem do mundo: gregos, egípcios, romanos, nórdicos, índios da América, Orientais. Cada um criou histórias lendárias e ou míticas, tentando explicar o começo do mundo. Basicamente há duas teorias para explicar a origem do universo: creacionismo e evolucionismo.

 

TENDÊNCIAS MISTICAS

 

Podemos encontrar tendências místicas em todas as grandes religiões do mundo. E as descrições que os místicos nos fornecem da experiência mística demonstram uma notável uniformidade, apesar das fronteiras sociais, culturais e religiosas, e de enormes diferenças cronológicas e geográficas. Isso nos permite falar de uma dimensão mística em todas as religiões, e foi por essa razão que o filósofo alemão Leibniz chamou o misticismo de philosophia perennis: a "filosofia perene".

 


Escrito por magloo.silva às 03:29:29 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Somos Todos Africanos

SOMOS TODOS AFRICANOS?

NOSSAS ORIGENS.

Sempre que entram em crise, as civilizações começam a olhar para seu passado, buscando inspiração para o futuro. Hoje estamos no coração de uma fenomenal crise planetária que afeta todas as civilizações.

Ela pode significar um salto rumo a um estado superior da hominização bem como uma tragédia ameaçadora para toda a nossa espécie. Num momento assim radical, não é sem interesse sondar as nossas raízes mais ancestrais e aquele começo seminal em que deixamos de ser primatas e passamos a ser humanos.

Aqui deve haver lições que nos podem ser muito úteis. Hoje é consenso entre os paleontólogos e antropólogos que a aventura da hominização se iniciou na África, cerca de sete milhões de anos atrás.

Ela se acelerou passando pelo homo habilis, erectus, neandertalense até chegar ao homo sapiens cerca de cem mil anos atrás. Da África ele se propagou para a Ásia, há sessenta mil anos, para Europa, há quarenta mil anos e para as Américas há trinta mil anos.

A África não é apenas o lugar geográfico das origens. É o arquétipo primal, o conjunto das marcas, impressas na alma do ser humano, presentes ainda hoje como informações indeléveis à semelhança daquelas inscritas em nosso corações.

A código genético. Foi na África que o ser humano elaborou suas primeiras sensações, onde se articularam as crescentes conexões neurais (cerebralização), brilharam os primeiros pensamentos, se fortaleceu a juvenilização (processo semelhante ao de um jovem que mostra plasticidade e capaz de aprendizagem) e emergiu a complexidade social que permitiu o surgimento da linguagem e da cultura.

Há um espírito da África, presente em cada um dos seres humanos. Veja três eixos principais do espírito da África que podem significar verdadeira terapia para a nossa crise global.

 O primeiro é a Mãe Terra. Espalhando-se pelos vastos espaços Africanos, nossos ancestrais entraram em profunda comunhão com a Terra, sentindo a interconexão que todas as coisas guardam entre si.

Mesmo vítimas da exploração colonialista, os atuais Africanos não perderam esse sentido materno da Terra, tão bem representado pela keniana Wangari Mathai, ganhadora do prêmio Nobel da Paz por plantar milhões de árvores e devolver assim a vitalidade à Terra.

Precisamos nos reapropriar deste espírito da Terra para salvar Gaia, nossa Mãe e única Casa Comum.

O segundo eixo é a matriz relacional (relational matrix no dizer dos antropólogos).

Os Africanos usam a palavra ubuntu que significa a força que conecta a todos, formando a comunidade dos humanos.

Quer dizer, eu me faço humano através do conjunto das conexões com a vida, a natureza, os outros e o Divino.

O que a física quântica e a nova cosmologia ensinam acerca de interdependência de todos como todos é uma evidência para o espírito Africano.

À essa comunidade pertencem os mortos. Eles não vão ao céu. Ficam no meio do povo como conselheiros e guardiães das tradições sagradas.

O terceiro eixo são os rituais. Experiências importantes da vida pessoal, social e sazonal são celebrados como ritos, danças, músicas e apresentações de máscaras, portadoras de energia cósmica.

É nos rituais que as forças negativas e positivas se equilibram e se aprofunda o sentido da vida.

Se reincorporarmos o espírito da África, a crise não precisará ser uma tragédia.

Aqui vai uma reflexão radical sobre nossas origens e sua atualidade para a crise atual. (.) "Vamos rir, chorar e aprender. Aprender especialmente como casar Céu e Terra, vale dizer, como combinar o cotidiano com o surpreendente, a imanência opaca dos dias com a transcendência radiosa do espírito, a vida na plena liberdade com a morte simbolizada como um unir-se com os ancestrais, a felicidade discreta nesse mundo com a grande promessa na eternidade.

E, ao final, teremos descoberto mil razões para viver mais e melhor, todos juntos, como uma grande família, na mesma Aldeia Comum, generosa e bela, o planeta Terra."Leonardo Boff: teólogo e escritor.

Texto 5 para Estudo e debate, organizado por Maria Glória da Silva.


Escrito por magloo.silva às 03:17:34 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE- Fenomeno Religioso

FENÔMENO RELIGIOSO

Maria Glória da Silva

FENÔMENO RELIGIOSO: o que aparece. O que acontece no mundo sobre religião. Fenômeno religioso. As religiões existem em todos os tempos e em todos os lugares. Proibir a prática da religião é sinônimo de fortalecê-la.

Os povos têm suas religiões e suas manifestações religiosas. Cada povo tem a sua religião. Cada família tem a sua religião. Os membros das famílias pertencem à religião da própria família. Não existe na História um filho que tenha religião diferente da dos seus pais.

O povo tem a religião do seu rei: cuius régio, eius religio".Deus: causa primeira de tudo: minerais, vegetais, vida animal e humana. Fonte. Criador. Algumas pessoas não freqüentam, criticam, difamam, desdenham da religião. Mas, quando precisam: procuram a religião. Ou vão na alegria ou na dor. Como se explica que muitas pessoas têm coragem de dar sua vida pela religião? São Pedro. Paulo. João. Sebastião. Lourenço. Águeda. Policarpo. Luzia. Inês. Tarcísio. Brás. Oscar Romero e milhares de outros.

Segundo Cícero ‘não há povo sem religião’ ou conforme  Plutarco ‘você encontra de tudo, mas não um povo sem religião’ e finalizando o que expõe Max Scheler ‘Na Lei universal: todo o espírito finito crê num Deus, se é substituído ou proibido, um dia retorna a mesma crença’. Jung: Seus clientes doentes padeciam de uma religião mal-orientada. Pavlov: Descrê na união da ciência com a fé. Mas pessoalmente é religioso. A cura de seus clientes neuróticos: retornar para a religião onde nasceram.

O povo brasileiro é religioso. Isso é bom e ruim. É bom na medida em que o povo brasileiro é piedoso e respeitoso. Ruim porque muitos brasileiros acreditam com facilidade em charlatães, impostores e enganadores. Morte de Deus: Pensou-se que o moderno havia vencido a fé. Mas. a ciência sem Deus tende a sucumbir.

O Comunismo não conseguiu acabar com a fé. É possível e positiva a convivência entre a Fé e a ciência. Fé e razão. Fé e pesquisa científica. Fé e cultura: a cultura envolve crenças, ritos, costumes e celebrações. Tempo sagrado: por exemplo, a semana santa, o domingo. Um tempo reservado para a religião. Espaço sagrado: um local reservado para a religião, para as orações e celebrações: capela, templo. A vida religiosa está ligada ao passado, ao presente e ao futuro. O mito: uma tentativa de explicar sobre a vida e sobre a morte. Religião: re legere reler (Cícero. Lactâncio) re ligare. (Agostinho) re-eligere tornar a eleger a Deus.

Texto 4 Proposto para Informação quanto ao Fenômeno Religioso.

 

A DISTRIBUIÇÃO DAS RELIGIÕES NO MUNDO:

De 6 bilhões de habitantes do mundo:

1 bilhão e 729 milhões: cristãos

Destes: 1,045 bilhão: católicos -  1,2 bilhão: muçulmanos. 1 bilhão de hinduístas -333 milhões: confucionistas -325 milhões: budistas -19 milhões: judeus -17 milhões: siks -265 milhões: diversas religiões ou sem religião: 6,165.

Observação: as estatísticas variam de ano para ano. Esses dados aqui apresentados servem apenas para nos dar uma idéia geral da situação.


Escrito por magloo.silva às 03:15:17 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - O que é religião

RELIGIÃO: O QUE É?

Maria Glória da Silva

۩ A religião é um sentimento ou uma sensação de absoluta dependência (Friedrich Schleiermacher. 1768-1804).

۩ Religião significa a relação entre o homem e o poder sobre-humano no qual ele acredita ou do qual se sente dependente. Essa relação se expressa em emoções especiais confiança, medo e ações culto e ética. (C.P. Tiele 1830-1902)

۩ A religião é a convicção de que existem poderes transcendentes, pessoais ou impessoais, que atuam no mundo, e se expressa por insight, pensamento, sentimento, intenção e ação. (Helmuch von Glasenapp 1891-1963.)

۩ A única coisa interessante sobre a terra são as religiões. (Baudelaire). O Homem é um animal religioso. A diferença entre o homem e o animal: o homem tem religião e o animal não tem religião. O homem primitivo, fascinado, espantado, estarrecido, assustado, sem saber explicar a causa dos fenômenos da natureza, criou Alguém como a causa das causas. Esse Alguém foi chamado de Deus. Alguns povos imaginavam que existisse UM Deus apenas. Outros criaram vários. Outros conjeturaram um deus para cada fenômeno da natureza.

۩ Para agradar ao(s) deuses, os povos faziam ofertas, sacrifícios, danças, rituais, celebrações, procurando apaziguá-los. Sacrifícios, ofertas, celebrações oferecendo aos deuses os PRIMOGÊNITOS OU AS PRIMÍCIAS deram início ao sacerdócio e às religiões. Juanita foi a menina inca, do Peru, oferecida aos deuses. Daí nasceu a religião, a tentativa de entrar em contacto com força, energia ou Pessoa, que causasse fenômenos como relâmpagos, frio, quente, vento, trovoadas, chuvas, tempestades, rios, marés e mares, florestas, vulcões, vida, gestação, doenças, curas, o ciclo das estações do ano, germinação das plantas.

۩ Contudo pelo medo ou pela gratidão, os primitivos criaram e organizaram a religião que deveria orientar a vida, as famílias, os costumes, a organização das tribos e dos governos. O medo e a culpa devem ter sido o primeiro fator que suscitou o nascimento da religião. O homem primitivo acreditava que os animais, as plantas, os rios, as montanhas, o sol, a lua e as estrelas continham espíritos, os quais era fundamental apaziguar. Até hoje há pessoas que praticam a religião para "apaziguar" o Deus terrível. Outros batizam as crianças, com medo de elas morrerem pagãs e serem castigadas por Deus.

۩   RELIGIÃO E VIDA RELIGAR ?religar o homem a Deus. RELER ?re ler, re perceber a importância de Deus. RE-ELEGER ?Re escolher Deus na própria vida.

Não devemos permitir que alguém saia de nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz.(Madre Teresa de Calcutá)

۩ Faça o necessário, depois o possível e, de repente, você estará fazendo o impossível".(São Francisco de Assis). A semente plantada não germina no mesmo dia. Precisa de tempo para brotar. Confiar e esperar é o segredo da boa colheita.(Masaharu Taniguschi –Seicho-No-Iê) Aprenda a amar a todos indistintamente, para conseguir encontrar a luz que tanto anseia.(Carlos Torres Passarinho)

۩ Uma sociedade onde coexistem desenvolvimento material e o progresso do espírito é uma sociedade verdadeiramente feliz.(Dalai Lama)

۩  As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguirmos diferentes, desde que alcancemos o mesmo ?(Mahatma Gandh).

A RELIGIÃO:

Religião: Conjunto de crenças, leis e ritos que visam um poder que o homem, julga supremo, independente, senhor de tudo e de todos, com o qual pode entrar em contato para pedir, agradecer e louvar. O homem reconhece sua dependência de um ser supremo pessoal, pela aceitação de várias crenças e observância de várias leis e ritos atinentes a este Ser. Muitos jovens afastam-se da Religião. Mas, depois retornam. Deve-se respeitar a outra religião. Umbanda: significa: Pai, Filho e Espírito.

Texto 3 proposto para introdução ao Ensino Religioso. 


Escrito por magloo.silva às 03:09:49 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Jesus quer a vida para todos

 JESUS QUER A VIDA PARA TODOS

Maria Glória da Silva

 A proposta de Jesus é que todos tenham vida e em abundância. Cabe a nós cristãos defender, resgatar, restaurar e promover a vida especialmente a vida humana.

A vida criada por Deus é perfeita. A beleza e a bondade manifestas na criação foram consideradas tradicionalmente um caminho para se chegar ao conhecimento de Deus e de seu amor. A vida é um bem, um presente de Deus, oferecido a nós gratuitamente.

A vida é uma grande manifestação de Deus, um sinal da sua presença, claro vestígio da sua glória. A glória de Deus é o homem vivo. Vê, ofereço-te hoje, de um lado, a vida e o bem; do outro, a morte e o mal.

Coloco diante de ti a vida e a morte, a felicidade e a maldição. Escolhe a vida. Então, viverás feliz com toda a tua posteridade, Dt 30. Jesus inaugura para nós o Reino da Vida do Pai.

Jesus, o bom pastor quer nos comunicar a sua vida e se colocar a serviço da vida. Dá a vista ao cego. Dignifica a samaritana. Cura os enfermos. Acolhe os leprosos. Alimenta os famintos. Liberta os prisioneiros do egoísmo. Cristo é o caminho, a verdade e a vida. Sua conduta contrasta com a da eutanásia e a do aborto. Anuncia a dignidade única da pessoa humana.

Somos amados por Deus de modo especial, de modo personalizado. Antes que fôssemos concebidos, Deus já nos amava. Temos valor único e irrepetível. Cristo, bom pastor, dá a vida pelas suas ovelhas, Jo 10,10.

Viver dignamente é o critério válido de todas as nossas ações, ou seja, é a opção fundamental do ser humano: ser livre de escolher o bem viver e se afastar das obras da morte.

A caridade é uma postura de acolhida e discernimento diante das ameaças à vida. A caridade leva-nos a acolher gratuitamente o outro como irmão. A caridade leva-nos a nos relacionar intimamente com Deus e ter o verdadeiro sentido da vida como um dom divino.

Quem se forma como médico, doutor em prol da vida, prepara-se longos anos para defender a vida desde os seus primeiros momentos até os últimos minutos de funcionamento de seu sistema nervoso e glandular. É o guardião, o anjo, o protetor competente e ético, sábio e inteligente, amoroso e compassivo, misericordioso e totalmente dedicado ao bem estar das pessoas. Aliás, TODOS nós somos seres vivos, humanos, racionais, chamados a viver dignamente e a preservar a vida. Jesus quer que TODOS tenham a vida e a tenham em abundância.

Texto 2 proposto como tema de Discussão para as religiões dos Cristianismo.


Escrito por magloo.silva às 03:04:55 PM
[] [envie esta mensagem] []



ERE - Vida Humana desde a Concepção

 VIDA HUMANA DESDE A CONCEPÇÃO

Maria Glória da Silva

 

A vida humana começa no ato da fecundação, na junção de dois gametas, um espermatozóide e em óvulo, formando-se uma nova unidade genética diferente da soma das duas partes que se uniram, provenientes do pai e da mãe. Um ser especial, diferenciado, para viver independente de suas origens! Aos 24 dias da fecundação, o zigoto, apenas chegado ao útero, é um tubo neural. Já faz o coração ter batimentos próprios. Com 70 dias de gestação já tem todos os órgãos formados até mesmo sua impressão digital, deixando de ser embrião para ser chamado de feto. Não é um animal ou vegetal, mas GENTE HUMANA que está nascendo.

 

Vejamos o que está ameaçando a vida: A pobreza, a exclusão social. A falta de recursos básicos para uma vida digna até mesmo para a sobrevivência física das pessoas. A precariedade dos serviços públicos de saúde e seguridade social. Sofrem as gestantes, padecem as crianças. Doentes e idosos são tratados com desprezo. A falta de instrução. A violência urbana. As drogas. O tabagismo. O alcoolismo. O materialismo. Os que levam uma vida sem sentido. A poluição. O desmatamento. A destruição dos rios, da fauna e da flora. Tudo isso destrói a vida. A vida humana tem como autor o mesmo Deus que é o Criador. Os pais unem-se em amor comprometido, criando um fruto abençoado de seu amor, que é a criança gerada com toda a santidade no útero materno. A vida vem de Deus.

 

A vida leva-nos a Deus. Devemos preservá-la e fazer de tudo para que se viva dignamente. Os abortistas para os cristãos não passam de assassinos covardes, dado que o ser humano que está sendo gerado, não pode se defender. O feto é outra pessoa com seus direitos inalienáveis e próprios de viver e de receber total assistência bio e psicológica, afetiva e moral. As mães são honradas com esta criança a ser gerada em seu útero. Os seus filhos não são seus! A criança não pediu para nascer. Assim que foi concebida, a criança é gente, pessoa, um dom de Deus feito para ser feliz, para ser amada e para amar. Preservemos a vida, dom de Deus!
Texto proposto no Ensino Religioso. Sugestão debate sobre a vida / Aborto e religião.


Escrito por magloo.silva às 03:01:58 PM
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   



BRASIL, Norte, COLORADO DO OESTE, centro, Mulher, de 36 a 45 anos, Portuguese, Italian, Coleções e miniaturas, Bebidas e vinhos, ler
MSN -







Histórico
Categorias
  Todas as mensagens
  Objeto de Desejo



OUTROS SITES
    UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  Painel Temático Blog da Glorinha
  blog Faceiros em Colorado
  EDUCA REDE
  VIDEOS D+
  Educação Infantil
  SALA DOS PROFESSORES EDUCAÇÃO INFANTIL
  MEU ALBUM
  MONTAGEM DE FOTOS
  PORTAL DO GOVERNO RONDONIA
  BLOG ESCOLA
  BLOG EPAR
  religioso
  Blog Gestar II Professora Valdecira
  GUIA DE MIDIAS
  JESUS CRISTO - CRISTIANISMO
  ONG FUTURO
  BLOG ENSINAR EXIGE ALEGRIA
  Gifs Isa
  Meio Ambiente BLOG
  RADIO E MEIO AMBIENTE
  FLORESTANIA BLOG
  Blog Minha Paixao
  Gente que Educa
  COLORADO AGITOS
  OFICINA DE CRIATIVIDADE
  RELIGIOSO
  BLOG PÃO DURO


VOTAÇÃO
    Dê uma nota para meu blog